Bianchi Ocelot MTB Fixa (pinhão Surly Dingle 21x17 e a altura do mov.central é 29cm)

domingo, 24 de março de 2013

Bike Fixa: Restauração de Cubo de Pista Antigo



Nas minhas andanças pelas bicicletarias de São Paulo, naquelas antigas nos bairros, de vez em quando encontros componentes interessantes.
Entre os achados, algumas caixas de direção com rosca na medida standard (Inglesa/ISO) da Shimano que não mais são fabricadas; e uma caixa da Giorgia (fabricada na Argentina) cópia da Campagnolo Super Record; um  par de “capuzes” (“hoods”) da  “Olimpico”  fabricado em látex no Brasil que servem nos antigos manetes de freio Campagnolo “Super Record”.  Achei largado em uma bicicletaria de bairro, na caixa (NOS), um movimento central Dura Ace modelo BB-7410 que ficou perfeito com o pedivela de pista Dura Ace (NJS), pois tem um eixo de 103 mm. Neste caso o dono da bicicletaria falou que não ia servir – foi honesto, pois estava pensando que eu iria usar com pedivela duplo de estrada, mas este MC faz par com o pedivela duplo Dura Ace FC-7410.

Em outra bicicletaria consegui um par de cubos para speed Campagnolo Record fabricados em 1967 com flange alta que estavam largados e empoeirados, e montados com componentes que não eram Campagnolo (espaçadores, contra-porca e as blocagens) e estava faltando uma “cobertura (anel)” do “oil port”.  Os cubos foram polidos e troquei o eixo por um mais longo 130mm da Campagnolo; o original era com 120mm, isto é para 5 velocidades.  As esferas foram trocadas por esferas de cromo com grade 25 – similares às originais da Campagnolo; as quais foram adquiridas na Sóesferas. E demais peças (blocagens e uma contra-porca) que não eram Campagnolo foram substituídas por originais da época. O resultado está na foto abaixo.

Cubos Campagnolo Record Strada - 1967

Contra-Porca Campagnolo com Estampo - CAM 67

 
A caixa de direção Giorgia (da Argentina) estava com um visual ruim, mas as pistas estavam em ótimo estado, e a pista do garfo estava solta da sua base. Ela foi colada na base usando trava-rosca de alta intensidade e os demais componentes foram polidos e ficaram com uma ótima aparência e está instalada na fixa Bianchi Ocelot que ilustra a página inicial deste blog, e está funcionando muito bem, sem folgas etc . Na foto abaixo, é mostrado também que ela foi montada com um espaçador Campagnolo Super Record.

Caixa de Direção Giorgia (Argentina)

Recentemente ganhei de um amigo ciclista um cubo antigo de pista flip/flop fabricado na Italia em 1954 pela FB – Fratelli Brivio com 36 furos, a qual fabricou os cubos para a Campagnolo até 1958. A partir daí os cubos Campagnolo passaram a ser produzidos internamente.  A data do cubo foi determinada pelo estampo nos cones /contra-porca que são da Campagnolo. O cubo estava com o “lockring” da Campagnolo (rosca 1.32” X 24 TPI). Ressalte-se que o lockring da Campagnolo só serve no cubo deles, obviamente, e nos de pista da Miche e da Phil Wood. E veio junto um pinhão fixo com rosca inglesa (1.37” x 24 TPI) da marca Renak, descobri na internet que foi fabricado na Alemanha.

Cubo flip/flop Fratelli Brivio - Data de Fabricação

Cubo flip/flop  Fratelli Brivio - Antes da Restauração

Cubos Fratelli Brivio  flip/flop - NOS (New Old Stock)


O cubo flip/flop estava com mau aspecto externo (vide fotos), mas é todo de aço – um bloco inteiriço!!! Porém as roscas para pinhão e “lockring”  estavam em excelente estado e os "dust caps" - "guarda-pós de aluminio estavam em excelente estado. Esse é capaz de aguentar qualquer “ogro” dando skids.
Desmontei o cubo e vi que o eixo vasado para blocagem não tinha o estampo da Campagnolo ou da FB. Cubos de pista originais utilizam eixos sólidos com porcas. Entretanto os demais componentes: cones e contra-porcas tinham a data e o estampo da Campagnolo e estavam em ótimo estado assim como as bacias do cubo.

Fratelli Brivio - Estado da Bacia

Antes de prosseguir com a restauração fiz uma pesquisa na internet sobre esse tipo de cubo e descobri uma raridade. Um similar a este, mas em melhor estado, estava sendo vendido por aproximadamente US$ 180 com frete no eBay (Suiça), mas ainda sem imposto de importação (60%), conforme este link AQUI.

Um aspecto que atrapalha muito a restauração de cubos antigos é que muitas vêzes estão faltando os "dust caps" - guarda-pós. Observando o cubo da Fratelli Brivio vi que é possivel fazer "dust caps" a partir de uma chapa de aluminio de 2mm. A  qual é torneada para encaixar sobre pressão como tampa das bacias. Alguns vão dizer que os "dust caps" tem formato abaulado, e isso é verdade, mas os feitos como uma chapa vão funcionar tão bem quanto aos abaulados - a função deles é não permitir a entrada de detritos das ruas que poderão danificar as esferas e a bacia.

 
"Dust Cap" Envolvendo o Cone do Cubo






"Dust CAP" - Guarda-Pó Campagnolo



Mandei fazer a re-cromeação da carcaça do cubo e ficou muito bom, exceto que houve uma pequena contaminação das roscas, e rosquear o pinhão e a roda-livre ficou mais difícil. Existe uma solução que é usar pinhões da Miche com “carrier” – depois do “carrier” instalado/rosqueado no cubo você nunca mais precisa tirá-lo, pois nesse sistema o pinhão fixo é encaixado no “carrier”. O ”carrier” tem rosca inglesa (1.37” X 24 TPI) que é a mesma dos cubos Dura Ace, Formula, Miche, Campagnolo etc. O resultado da restauração está na foto abaixo.

Cubo Flip/flop Fratelli Brivio Restaurado

Coloquei um eixo sólido da Campagnolo que tem rosca 10 mm X 26 TPI com as respectivas porcas. Para fins informativos, um eixo sólido de cubo de pista Dura Ace tem uma rosca de 10 mm x 1 FRPM (fio de rosca por milímetro). Para fazer par com este Fratelli Brivio, consegui um cubo de estrada dianteiro antigo da Campagnolo que será trocado o eixo (rosca 9 mm X 26 TPI) por um sólido original com as respectivas porcas. 
Agora tenho um bom problema que é arranjar um quadro italiano para ficar coerente com o nível do cubo, assim como os aros. Esse cubo ficará bom com um aro similar aos tubulares de antanho, tipo “box” e polido. Uma alternativa é um Mavic MA3, Ambrosio,  Nisi ou FIR – que não são mais fabricados, mas pode-se encontrar no eBay. As alternativas facilmente disponíveis são um Velocity Razor, Mavic Open Pro ou o Open Sport; ou ainda um H+Son TB14, que ainda estão em fabricação e são de boa qualidade.

Aro H+Son TB14

 

Perfil do Aro H+Son TB14


O peso do cubo de pista FB traseiro que tem flange baixa é de 422 gramas, que inclui o “lockrinbg” e as duas porcas.  Alguns vão achar que isso é extremamente pesado, obviamente não é para competição, mas é ótimo para andar nas ruas e dar skids, pois é super-robusto.  Entretanto é possível fazer a comparação de pêso com outro componente de bike fixa que era fabricado na época deste cubo FB e continua sendo até hoje e que não prima pela leveza e sim pelo conforto: Selim Brooks B17.

 

Cubo FB - Pêso

Esse modelo de selim da Brooks pesa cerca de 530 gramas segundo informação obtida neste link AQUI . Por outro lado, o peso de selins mais modernos e clássicos (que também são populares entre os fixeiros) tais como: Selle San Marco Concor (298 gramas); Regal (369 gramas), Rolls (382 gramas). Ou seja, a diferença de peso é de 230 gramas entre o Concor e o B17 e nos outros é menor.
Um cubo de pista moderno com flange baixa tipo Campagnolo Record Pista pesa 284 gramas incluindo o lockring e as porcas; e um Dura Ace Track HB-7710 (flange baixa) tem um peso de 313 gramas incluindo o lockring /porcas. Ou seja, a diferença de peso com relação ao cubo de aço FB é respectivamente de 138 gramas e 109 gramas.
Conclusão: O adicional de peso de um cubo de fixa FB de aço é menor que aquele trazido pelo uso de um selim Brooks B-17.
O mais recente achado é um cubo de pista Campagnolo Record bem antigo com flange baixa, que encontrei em uma bicicletaria, e estava bem judiado. Ele originalmente tinha 28 furos, e é difícil achar aros com essa furação. Consequentemente, adicionaram 4 furos em cada flange !!! Heresia da brava !!! Vejam na foto abaixo os furos espremidos entre os originais. O pior é que nunca fica bom esse tipo de coisa. Alguém deve estar pensando: Você comprou isso???  Não, eu ganhei. Dado o estado do cubo, falei para o dono da bicicletaria que iria utilizar as bacias, que estavam OK, em outro cubo que pretendo restaurar no futuro. Desmontei o cubo e nenhum componente (eixo, cones e contra-porca) tinha o estampo da Campagnolo.  Tirando os 8 furos adicionais !!! -  o resto da carcaça, roscas, bacias, “dust-caps” estavam em ótimas condições. 

Cubo de Pista Campagnolo Record - Estado Inicial (excesso de furos)

 Antes de prosseguir na restauração ou destruição da carcaça para retirar as bacias, fui checar os preços de cubos antigos similares a este (US$ 175.00 e sem as porcas, que custam + US$ 45.00, mas tudo sem frete) na internet  e estavam acima do preço de um cubo de pista novo da Campagnolo Record (Amazon – US$ 205.00 + frete). Pensei que talvez valesse a pena montar uma roda com ele. Ressalte-se que a Campagnolo atualmente fabrica cubos de pista com duas furações: 32 e 36 furos, mas no passado a variedade era maior.
Além disso, eu tinha os demais componentes necessários para re-montar o cubo deixando ele praticamente original:  um eixo sólido da Wheels Manufacturing (fabricado nos USA) com 174mm,  e rosca da Campagnolo (10mm X 26 TPI), que é similar ou até superior ao original, e cones e contra-porcas originais da Campagnolo sobrando.  Quanto ao lockring do pinhão fixo, poderia utilizar o que veio no cubo de pista FB - Fratelli Brivio que é da Campagnolo, e no cubo FB coloco um Miche que é bem em conta e também é italiano.

Na restauração muitas vêzes é necessário canibalizar uma outra peça similar que tenha problemas graves, mas que tem partes em ótimo estado. É aquilo de pegar dois fuscas e montar um em bom estado. Como decidi não canibalizar o cubo de pista Record, tive de achar um outro cubo com a carcaça em pior estado mas com os demais componentes em bom estado para serem utilizados em outra restauração. Vide as fotos a seguir.

 

Cubo Campagnolo Record c/ Carcaça Danificada





Cubo Campagnolo Record SEM "Dust Caps"


Cubo Campagnolo Record sem Pista de Esferas


Partes Re-Aproveitáveis: 2 Pistas, 2 Dust Caps e Anel do "oil port"


Na primeira foto é mostrado o estado do cubo, na segunda  apresentamos uma ferramenta imnprovisada (2 parafusos sextavados que unidos engancham nas bordas) para retirar os "dust caps" do cubo sem danifica-los. Na terceira foto é mostrado o que foi utilizado para extrair do cubo a pista de esferas: maçarico culinário; ferramenta improvisada para empurrar para fora as pistas do cubo; um eixo dianteiro que pressiona a ferramenta improvisada de extração e não estão nas fotos o martelo e um alicate de pressão para segurar o cubo. A carcaça do cubo é aquecida  com o maçarico e ela dilatando-se facilita empurrar para fora a pista do cubo - a qual foi instalada sob pressão. Na última foto estão os componentes que podem ser re-aproveitados, tudo menos a carcaça que tem 28 furos - dificil de achar aros e a estética  externa do cubo está bem prejudicada  (vide 2a. foto acima).
Fui conversar com um especialista em solda de alumínio sobre o fechamento desses oito furos adicionais.  Perguntei se a solda dos furos enfraqueceria muito a flange do cubo. Ele respondeu:  “Como você não vai colocar força/reutilizar essa parte, acho que não vai ter problemas”.  Decidi correr o risco e pedi para ele fechar esses 8 furos com solda de alumínio. Usei uma mini-freza da Dremel para eliminar o excesso de solda e depois passei uma sequência de lixas: ferro 220, d’água 320, 400, 600 e 1200, para finalmente polir com pasta para aço inox da Tramontina (é a que tenho, mas podem ser outras).

Fechamento dos Furos Extras e Proteção das Roscas e Furos Vizinhos

Cubo Sendo Re-Montado com Eixo da Wheels Mnfg - 10mm x 26 TPI em Cromoly

 

Cubo Campagnolo Record Pista Restaurado

Cubos traseiros são mais fáceis de restaurar, pois existe quase que um “padrão” em termos de diâmetro de esferas – usam ¼” de polegada. Entretanto, existe um outro potencial problema que é o diâmetro interno do “dust cup” que é onde entra o cone. Se for muito largo, fica uma fresta por onde entram detritos que atacam a bacia, o cone e as esferas. Diferença no diâmetro dos “dust cup” ocorrem inclusive entre o mesmo modelo de um mesmo fabricante. Vi isso ocorrer com dois cubos traseiros C-Record da Campagnolo, eles tinham “dust cups” com diâmetro interno diferente e consequentemente o diâmetro externo dos cones eram diferentes !!! Por isso, é sempre melhor utilizar a peça original.

A maior dificuldade inicial foi achar os aros, mas tive sorte e encontrei uma liquidação de aros clincher Mavic Open Sport 700c antigos (2011 !!!)  com 28 furos por um preço muito convidativo, mesmo pagando o frete e o imposto de importação custaram cerca de 50% a mais que um Vzan Spin. No Brasil é difícil achar aros com esse número de furos, mas me informaram que a Vzan fornece, sob encomenda, os aros Spin com 28 furos. Não cheguei a ligar para eles para confirmar isso.

Dado esse numero pequeno de furos, e considerando que vou usar esse cubo nas ruas e não velódromo, provavelmente os raios serão cruzados 3X, que é o máximo que dá com flange baixa e aro com perfil baixo, mas isso ainda precisa ser conversado com o montador de rodas, e o ponto de cruzamento dos raios será amarrado e soldado para dar mais rigidez.
Os raios dessas rodas serão DT Swiss ou Sapim na medida 2.0-1.8-2.0 trefilados, pois são mais resistentes.
O cubo dianteiro também será um Campagnolo Record, mas para estrada com 28 furos, pois são mais em conta que seu equivalente de pista. Ele será convertido para pista, e para isso basta trocar o eixo para blocagem por um eixo sólido original da Campagnolo com porcas e por razões estéticas fechar  o “oil port” no centro do cubo com um pingo de solda de alumínio.  O cubo dianteiro Campagnolo Record de Strada e o Record Pista são iguais, exceto por 2 diferenças: o de Pista têm eixo sólido com porcas e não tem o “oil port”. 

Cubo Dianteiro Campagnolo Record - 28 Furos p/ conversão p/ Pista

Este último processo de restauração ainda está em andamento, pois faltam chegar os raios DT Swiss e o cubo dianteiro Record para efetuar a montagem das rodas com 28 furos.
Lembre-se do seguinte: restauração só vale a pena se for de peças de alta qualidade ou estilosas; ou em casos especiais: você herdou/ganhou uma bike legal antiga de seu avô ou parente e por razões subjetivas você quer deixa-la como ela era no passado, independentemente do custo e tempo envolvido.

Bom Garimpo e Boas Pedaladas a Todos

by MarchaFixa

6 comentários:

  1. as fotos não estão aparecendo. bom texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VAASD,

      Eu chequei esse post em outro browser e as fotos estão aparecendo sim. Ats. MF

      Excluir
  2. Olá, tudo bem estou reformando uma caloi 10 e assim que vi o seu post comecei a ler e notei a parte que você fala sobre o guarda pó dos cubos ,então resolvi perguntar por um acaso você não teria ou saberia onde posso arrumar os (Dust CAP" - Guarda-Pó ) dos cubos Sunshine da caloi 10; pois estou com os dois cubos mais não consigo arrumar os dust cap. de qualquer forma já agradeço. e muito bom o post !

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos,

    Eu não sei onde arrumar os "guarda-pós". A unica maneira é garimpar nas bicicletarias de bairro, ou mandar fazer usando uma chapa de aluminio cujo furo interno (feito com broca) deve ter o diametro do cone, e o diametro externo é o do cubo aonde estão instaldas as bacias - notando que em geral existe diferença de diametro entre os guarda-pós dianteiros e traseiros e inclisive -as vêzes - entre o lado direito e o lado esquerdo do cubo traseiro. Ats, MF

    ResponderExcluir
  4. Marcha Fixa, eu sei que a pergunta pode soar idiota, mas eu queria saber se é muito escroto colocar blocagem rápida na roda traseira de uma fixa. Acabei de montar uma roda fix/fix num cubo bdw mas não me parece que aqueles bolts vão aguentar. Tenho uma blocagem sobrando em casa e por isso o custo seria zero. Já até testei e encaixa perfeitamente mas não rodei assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luks,

      Obrigado pela audiência. Sim, voce pode fazer isso. O finado Sheldon Brown usava blocagem nas suas fixas. O Sheldon não recomendava para isso o que ele chamava de blocagem de "butique". Usa umas parrudas - aquelas de cubo de MTB Shimano são boas para isso. Tem um outro macete, usa esticador de corrente para gancheira de pista, assim não tem como a roda sair do lugar. Ats, MF

      Excluir