Bianchi Ocelot MTB Fixa (pinhão Surly Dingle 21x17 e a altura do mov.central é 29cm)

quinta-feira, 14 de abril de 2011

As Diversas Opções de Cubos Traseiros para Montar uma Bicicleta Roda Fixa (Bike Fixa)

As fixas são um novo tipo de bike na terra brasilis. Entretanto, a prima – irmã, as singlespeeds  –  mais conhecidas por Barra Forte e Barra Circular e similares, são muito populares como meio de transporte em muitas regiões do Brasil. A diferença entre a fixa e uma singlespeed , ambas tem uma marcha, mas a singlespeed usa roda-livre e nas descidas você pode parar de pedalar. Isso não acontece com a fixa que usa pinhão fixo, pois nela você gira os pedais sempre que a roda traseira está em movimento, mesmo nas curvas, você entra e sai pedalando.
A principal diferença para uma bike com marchas, é que a fixa tem uma única marcha e usa um pinhão fixo (rosqueado ou parafusado) no cubo com uma contra-porca com rosca reversa (aperta no sentido anti-horário), e às vezes não tem freios ou usa um único na frente, e o pedivela tem uma única coroa, e o resto é basicamente igual a uma bike com marchas ou uma singlespeed.
Neste artigo procuramos enumerar às diversas alternativas de cubo traseiro para fixa, e elas vão do tradicional ao sofisticado “gambitech” (gambiarra com tecnologia; ou seja, bem feita).
Aos certinhos, que torcem o nariz para gambiarras, gostaria de informá-los que a Campagnolo as promove, assim como a Surly e a J-Tek. A Campagnolo fornece espaçadores que permitem transformar um k-7 de 9 velocidades em 8 velocidades, assim o ciclista consegue utilizar o cambio traseiro e o ergopower de 8 velocidades com cubo de 9 velocidades.  A Surly desenvolveu um adaptador (Fixxer) que transforma os cubos para k-7 da Shimano em cubo fixo!!!   A J-Tek produz um aparato (ShifMate) que permite o pessoal de cyclocross usar os manetes Ergopower da Campagnolo com o cubo, o k-7 e o cambio traseiro da Shimano com uma indexação perfeita!!!. Além disso, a J-Tek desenvolveu outra “gambiarra” que permite usar dois manetes de freios com uma única pinça de freio – o dianteiro !!!
É bom ressaltar que também é gambiarra usar nas ruas uma bike de pista cujo quadro e componentes foram desenvolvidos para serem utilizados no ambiente limpo e asséptico de um velódromo. Onde não se faz necessário dar skids (parar a bike sem o uso dos freios) para brecar a bike porque em velódromo não tem pessoas cruzando a pista, lombadas, sinais de transito etc.
A respeito disso, Koichi Yamaguchi (http://www.yamaguchibike.com/content/Index ), o conceituado framebuilder que fez os quadros para a equipe de ciclismo Olimpica dos USA nos anos 90 e que também construiu quadros Keirin no Japão , distingue esse aspecto uso urbano x velódromo, na suas recomendações de quadros .
Yamaguchi  diz que os quadros para fixa são construídos de maneira diferente de um que vai ser utilizado no velódromo:
“Messenger frame are require more strength then regular competition track frame. Competition track frame are not design for back pedaling (fixed gear braking) this yield stress on chain stays, seat stays and rear dropouts.” Fonte: http://www.yamaguchibike.com/content/Frames/Messenger
A tradução disso é:
“O quadro Messenger precisa ser mais resistente que um quadro para competição de pista. O quadro de Pista para competição não é construído para dar contra-pedal (brecar a bike com um skid) , pois isso resulta em “stress” nos tubos da corrente (chainstays), nos tubos de suporte do tubo do selim (seatstays) e nas gancheiras traseiras.”
Entretanto, fixeiros purista adoram fazer a gambiarra de usar uma bike de pista nas ruas e ainda brecam elas dando skids!!!  Afinal, usar freio para isso não é “hipster” ou “cool” e estraga o visual da bike.
Os cubos que utilizam um pinhão fixo (independentemente como são fixados no cubo) podem ser classificados em função da sua finalidade de uso; ou seja: competição esportiva e trabalho/lazer.
Os cubos de competição para uso no velódromo têm como característica que eles são quase sempre fabricados com uma única medida de eixo, a exceção é no Japão que alguns cubos tem eixo para espaço entre gancheiras traseiras de 110mm !!!; e a Royce inglesa que fabrica com eixos de 180mm para MTB fixa.
 Por exemplo, o cubo traseiro de pista Shimano Dura Ace modelo HB-7710 (flange baixa) tem um eixo sólido de 164mm, que cabe somente em quadro de pista com espaço entre gancheiras de 120mm, e existe uma versão para 110mm. O mesmo acontece com o outro modelo da Dura Ace HB-7600 (flange alta), cujas vedações não vêm instaladas ou simplesmente não existem, afinal as pistas dos velódromos são bem limpas.  Ressalte-se que somente o Dura Ace HB-7600 com 36 furos é certificado pela NJS para competições Keirin (em velódromo) no Japão, as demais furações não são admitidas nas competições.
Outra marca japonesa certificada pela NJS para corridas Keirin são os cubos de pista fabricados pela Dia Compe modelo Gran Compe Pro  HB-1100 36H NJS (traseiro), e o dianteiro é HB-1000 36H NJS.
A Royce fabrica cubos de pista de alta performance com eixos de titânio e foi ela que fabricou os cubos de pista utilizados por Chris Boardman que  bateu  o  “Athletes Hour Record” no Velódromo de  Manchester em Outubro de 2000. Entretanto, a Royce produz cubos de pista com eixos maiores que servem em MTBs convertidas (135mm). 
A Edco da Suiça produz as rodas para pista modelo  Furka Track SuperSport (2010) que são de carbono para pneu tubular e o par pesa cerca de  1484g ( Front 704g , Rear 778g ) e os cubos usam esferas de cerâmica. A tendência é cada vez mais serem usadas rodas de pista  prontas nas competições de velódromo, a exceção continuará sendo o Japão onde a Associação Keirin (NJS) tem regras estritas sobre que componentes podem ser usados nas bicicletas que participam das corridas Keirin (pista).

Outro fabricante renomado de rodas de fibra de carbono é a ZIPP com seu modelo 808, para pneus tubulares, e o par  de rodas pesa 1992 gramas, cuja altura é de 82mm e os cubos são de flange alta, e a traseira tem 24 raios e a dianteira tem 20 raios. Eles também tem um modelo mais simples denominado 404, cuja altura do aro é de 58mm e também é de carbono.

A Mavic é outro fabricante de rodas em fibra de carbono para competições em velódromo, ela tem o modelo iO que pesa 750 gramas (dianteiro) (http://www.mavic.com/en/product/wheels/track/wheels/iO) ; para a traseira eles produzem a roda fechada Comète-Track , cujo peso é de 980 gramas (http://www.mavic.com/en/product/wheels/track/wheels/Comete-Track). Essas rodas ganharam 17 medalhas de Ouro nos Jogos Olimpicos de Pequim em 2008. Existe também as rodas de alumínio modelo Ellipse (dianteira e traseira) que são mais simples, e destinam-se para treino, e o peso das duas atinge cerca 1900 gramas. A Ellipse utiliza 20 raios em ambas as rodas, sendo que a dianteira é montada de forma radial.
Neste segmento também existem outras marcas top, como a Campagnolo com os cubos Record Pista que são utilizadas em competições nos velódromos . Os cubos de pista Record são fabricados também  com um único tamanho de eixo que serve somente em quadro de pista que tenha 120mm de espaçamento entre gancheiras. A Campagnolo também fabrica rodas de pista de carbono modelo Ghibli (link para descrição )  Ressalte-se que a Campagnolo não recomenda o uso de seus cubos de pista nas ruas e se usados fora do velódromo, perdem a garantia. Veja o que aconteceu com esse cubo de pista da Campagnolo:
Cubo Campagnolo com Flange Quebrada
A história desse cubo é contada no site do Sheldon Brown, cujo link é:
Outro aspecto que dificulta o uso de cubos de competição nas ruas, é que muitos não vêm com vedação adequada para impedir a entrada de detritos / sujeira nas pistas das esferas. Afinal de contas no ambiente asséptico de um velódromo coberto, essas vedações são desnecessárias, pois (os anéis de silicone) só reduzem a performance do cubo.
Aneis de Vedação Cubo Dura Ace de Pista HB-7600 (NJS)
A primeira alternativa para uma fixa urbana, que chamo de tradicional,  é utilizar  um cubo de pista de boa qualidade  e  preço razoável, como por exemplo, os fabricados pela Fórmula (existem no Brasil), e outras marcas com preço acessível: IRO, SOMA, Kore, Nashbar, Alien etc. A Shen Fung tem um cubo de pista flip-flop com preço bem em conta (R$ 49,00) e que está a venda no Brasil, segundo relato postado no site www.pedal.com.br - tópico Single Speed (filosofia) - ele não aguenta os SKIDS - espana a rosca - dura seis meses no máximo.
O cubo traseiro de pista padrão ou tradicional tem uma rosca inglesa (sentido horário) na medida 1.37” x 24 TPI, e uma segunda rosca (sentido anti-horário ou reversa) com diâmetro menor na medida 1.29" x. 24 TPI ,  na qual vai ser rosqueada uma contra-porca cuja função é evitar que o pinhão desrosqueie quando o ciclista tentar parar a bike com os pedais, isto é dar um SKID. Por outro lado, os cubos de pista Campagnolo, Phil Wood usam outro padrão de rosca na contra-porca que é 1.32 x 24 TPI, neste caso ela tem o diametro ligeiramente maior, porém com o mesmo passo de rosca da contra-porca de rosca inglesa. Essa contra-porca com rosca italiana é mais difícil de encontrar reposição no mercado local. Existe também a opção de montar um Cubo Fixo com Pinhão Chavetado, que tem uma ótima relação custo X diversão.
O cubo de pista tradicional (duas roscas, sendo uma reversa para a contra-porca) tem uma fraqueza /vulnerabilidade que ocasionalmente as roscas do cubo traseiro espanam. Muitos defensores ardorosos do cubo de fixa tradicional ocultam esse potencial problema de espanar as roscas que pode inutilizar o cubo, e jogar no lixo um investimento de R$ 200,00 ou mais. Além disso, os cubos tradicionais são mais trabalhosos para trocar o pinhão e requerem ferramentas especificas para isso (vide foto abaixo). 

Neste post faço uma compararação entre Pinhão com Lockring versus Pinhão Parafusado, assim o ciclista que está planejando montar a sua primeira fixa pode tomar uma decisão mais fundamentada do tipo de cubo traseiro que vai colocar na sua fixa. Além disso escrevi um post mais recente sobre cubos espanados: "A Grande Mentira: "Cubos de Fixa/Pista Tradicionais NÃO ESPANAM!!!".  Caso você tenha dúvidas sobre a durabilidade de um cubo de disco convertido para uso de pinhão parafusado leia este post:

"Arquimedes e o Cubo com Pinhão Parafusado: A Melhor Opção em Custo X Diversão X Durabilidade" onde demonstramos por que o cubo de disco convertido é a melhor opção.

Ferramenta Dura Ace p/ Pinhão Rosqueado vs. Chave Allen p/ Pinhão Parafusado
Esse problema de espanar a rosca do cubo tradicional levou alguns fabricantes a desenvolverem cubos em que o pinhão é encaixado no cubo e não mais rosqueado. Isso elimina esse problema, mas por outro lado, o ciclista fica dependente de um único fabricante para fornecimento dos pinhões.

A empresa inglesa Charge desenvolveu um cubo especifico e respectivo pinhão para bike fixa, denominado “Charge Shaker”.  Esse pinhão tem dois encaixes e é mantido preso ao cubo por quatro parafusos.  Essa solução foi adotada porque ela evita o problema das roscas espanarem. Entretanto eles pararam de produzi-lo devido às similaridades com um cubo desenvolvido pela Level Components dos Estados Unidos (http://www.levelcomponents.com/index.html).

Cubo Charge Shaker & Pinhão de Encaixe/Parafusado
Cubo Level com Pinhão de Encaixe / Parafusado
Outra empresa inglesa - Halo - desenvolveu um outro tipo de cubo de pista na qual evita que as roscas espanem por causa do pinhão rosqueado ser puxado em duas direções (pedalar e dar contra-pedal /skids).
A solução foi um cubo estriado Halo Fix-G (aonde no tradicional vão as roscas) no qual os pinhões (cabem até 2 pinhões para formar um “dingle”) estriados são encaixados com espaçadores; e o lockring (HG da Shimano) é  independente dos pinhões, pois ele é rosqueado internamente no cubo. Ressalte-se que neste tipo de cubo, o lockring não sofre nenhuma pressão quando é dado um “skid”, ao contrario do que acontece com um cubo tradicional.
Esse sistema da Halo, fazendo uma analogia, nada mais é do que um “freehub” para k-7, amplamente usado nas bikes de estrada e de MTB, mas com 2 diferenças: 1) é mais curto, nos cubos de estrada /MTB a parte estriada (“freehub”) tem cerca de 38mm (afinal tem de acomodar 10 – 11 engrenagens); 2) é fixo, ou seja as estrias são integradas ao resto do cubo; nos cubos K-7, essas estrias estão no “freehub” e ele gira como uma roda-livre.
O cubo Halo Fix-G tem muitas vantagens sobre os tradicionais; tais como: permite ajuste da posição do pinhão para ter uma boa linha da corrente; é muito fácil de colocar e trocar os pinhões; aceita pinhões a partir de 12 dentes; pode colocar até 2 pinhões e não necessita virar a roda para isso. Por outro lado, você vira um cliente cativo da Halo em termos de pinhões.
Cubo Halo Fix-G (estriado)

Pinhão Estriado para Cubo Halo Fix-G
O link para a descrição do produto da Halo é a seguinte:

A White Industries (USA) fabrica um cubo de pista especial que pode ser usado em quadro que tenha as gancheiras verticais. O nome desse modelo de cubo  é Eno Eccentric , ele permite o tensionamento da corrente mesmo com uma gancheira vertical. Ele também utiliza o sistema de engrenagem para encaixe do pinhão no cubo.  Ressalte-se que dado o preço do conjunto cubo traseiro+pinhão especial fica ao redor de US$ 200,00 e se for fixed/free, ainda tem o custo da ferramenta especial para extrair a roda-livre, com isso o custo chega aos US$ 235.00, esse cubo faz sentido quando o quadro é de alta qualidade (carbono, titânio, scandiun ou Columbus Ultra Foco etc.).
Cubo Eno Eccentric
Pinhão de Encaixe especifico p/ Cubo ENO da White Industries

Cubo de Disco Shimano com Eixo Excentrico da FixKin

Eixo Excentrico da FixKin p/ Cubo de Disco Shimano/Similares

Esse eixo excentrico foi objeto de um post: "Como Converter Cubo de Disco em Cubo Excêntrico para Bike Fixa com Gancheira Vertical".


Minha previsão é que os cubos de pista estriados (tipo o cubo da Halo) irão prevalecer no caso das fixas urbanas, considerando a experiência altamente positiva decorrente do uso de cubos estriados em bicicletas de speed,  MTBs e BMX (neste caso, vai um só pinhão), cujo mercado é dominado pelos três grandes: Shimano, Sram e Campagnolo.  E afinal de contas para que re-inventar a roda, se essa maneira já está mais que comprovada.  À medida que vai crescendo o seu uso, e aumentando a popularidade, os preços irão cair e serão bastante competitivos em relação aos cubos de pista tradicionais com duas roscas, pois inexiste o risco de espanar a rosca, além de serem mais fáceis de fazer trocas de pinhões.


Outro caminho possível é a fabricação de cubos traseiros prontos para receberem um pinhão parafusado de um lado e do outro uma roda-livre singlespeed e tudo já re-espaçado para montar imediatamente a roda em um quadro de speed. Isso já existe, pois a Phil Wood (USA) e a FixKin (Italia) fabricam cubos especialmente desenhados para receber um pinhao parafusado com furaçao ISO. Isso foi objeto do seguinte post do blog: "Pinhão Parafusado é Gambiarra ? Não É, Segundo a Phil Wood"

 

Complementando esse post escrevemos um outro que fundamenta melhor o uso de cubo de disco convertido:

"Arquimedes e o Cubo com Pinhão Parafusado: A Melhor Opção em Custo X Diversão X Durabilidade" onde demonstramos por que o cubo de disco convertido é a melhor opção.


Atualmente existem cubos de disco para singlespeed, onde de um lado tem rosca para uma roda-livre com uma velocidade e do outro os seis furos para o rotor do freio a disco, os quais podem ser convertidos flip-flop - pinhão parafusado de um lado e roda-livre no outro, sem precisar re-espaçar o cubo. O único problema é que eles tem um eixo para 135mm - MTB, e os quadros de speed , em geral, tem  um espaçamento de 130mm.  Abaixo tem a foto do cubo de disco para singlespeed (MTB) fabricado pela DMR Revolver inglesa e existe um outro fabricado pela Octane One, também para uso singlespeed / disco em MTB. 

O desejável seria ter um cubo para montar dois pinhões parafusados, e ter a parte um suporte a ser parafusado para rosquear uma roda-livre singlespeed. Isso daria muita flexibilidade: teriamos um cubo "fixed/fixed" ou "fixed/free" .  Ressalte-se que nesse caso, a linha da corrente deve ser maior – ao redor de 47 mm, que é mais compatível com as bikes de speed convertidas em fixa ou MTB, em vez do padrão de 42mm que é o padrão para bikes de pista (com espaçamento entre gancheiras de 120mm) no qual todos os componentes montados são de pista, o que as vezes não ocorre numa conversão.

Cubo DMR Revolver Singlespeed / Disco p/ MTB

No Brasil, eu ainda não vi por aqui esse cubo da DMR Revolver e o da  Octane One. Entretanto, existe um da Shun Feng com colar de esferas, que é para roda-livre com marchas e tem os furos para disco; o que torna possivel transformá-lo em um cubo de fixa flip-flop, bastando re-espaçar o cubo (traduzindo: transferir alguns espaçadores do lado da roda livre para o lado onde vai o pinhão parafusado, de modo que a roda seja enraida usando-se raios de mesmo comprimento em ambos os lados do cubo).

Acho que não vai demorar muito o desenvolvimento de um “freehub” estriado fixo que tenha a metade do comprimento de um “freehub” de speed ou MTB, para substituí-lo e assim transformar um cubo k-7 em fixo; ou seja, emulando um cubo fixo da Halo.  Um “freehub” da Campagnolo para 9/10 velocidades tem 38mm de comprimento, reduzindo a metade teríamos 19mm, que dá perfeitamente para alinhar a corrente. Pinhões estriados já são produzidos pela Surly para uso em singlespeeds baseados nos cubos k-7 da Shimano.
Pinhão Surly Estriado p/ Singlespeed / Fixa
A Phil Wood desenhou um cubo especialmente para ser usado em MTB que foram convertidas em fixas. Tradicionalmente os cubos de pista tem uma linha da corrente de 42mm, e isso causava problemas do pedivela / coroa bater no “chainstay”. Entretanto, esse novo modelo denominado K.I.S.S. da Phil Wood tem 52mm de linha da corrente,  para ser usado com espaço entre gancheiras de 135mm (padrão de MTB). Essa linha da corrente mais distante do quadro eliminou o problema do pedivela /coroa roçar o “chainstay” e com isso é possível manter o pedivela de MTB em uma MTB fixa.
Cubo Phil Wood KISS p/ MTB Fixa
Um cubo inovador foi lançado pela Sturmey Archer que é o modelo S3X, cuja principal característica é  ter 3 marchas fixas. A troca de marchas fixas é feita por uma alavanca que vai no  “bar-end”, mas terá outras opções.  Os pontos negativos são o peso que atinge  990 gramas com eixo de 130mm, e o custo que é de $ 240.00 . Ele também utiliza pinhão estriado ( aceita de 12 até 18 dentes), no lugar do rosqueado, e os mesmos são fabricados pela Surly e por ela própria.
As marchas têm as seguintes relações: a primeira é 62,5%; a segunda 75% e a terceira 100% (usa direto o pinhão).  Exemplificando, uma fixa que tenha uma coroa de 44 dentes e um pinhão de 18 dentes no cubo S3X, obterá as seguintes “gear ratios” com uma roda 700c: 66 polegadas, 88 polegadas e 106 polegadas.
Cubo Sturmey Archer S3X (TRÊS MARCHAS FIXAS) e Trocador de Marchas
O cubo SRAM Torpedo é um cubo misto que pode passar de fixo para singlespeed e vice-versa, bastando dar aproximadamente sete voltas em um parafuso incrustado no interior do eixo, e para ter acesso à ele não é necessário tirar a roda. Só é necessário uma chave de fenda. Ou seja, ele representa uma melhoria sobre os cubos tradicionais, flip-flop, que para  colocar no modo singlespeed é necessário desapertar as porcas e virar a roda e reapertá-las.
Cubo SRAM Torpedo Fixo / Singlespeed
Na linha do SRAM Torpedo, surgiram outras marcas de cubos que proporcionam as mesmas facilidades na mudança de fixo para singlespeed e vice-versa. Uma delas é o Cubo Platon da Brotures, uma marca de bicicletas da loja de Jah Life localizado em Yokohama, no Japão, pode ser facilmente comutado entre a roda livre e fixa apenas empurrando ou puxando uma “alavanca”. O mesmo ocorre com o Cubo da Chosen, fabricado em Taiwan.
O link para o Cubo Platon é:
O link para o Cubo da Chosen, está abaixo:

A lista de cubos para fixa mencionados acima não é completa, pois o objetivo foi dar uma visão geral do que existe de cubos para fixas de uso urbano e ressaltando algumas peculiaridades importantes, tais como: a maneira utilizada para prender o pinhão fixo ao cubo, essa onda das fixas ainda vai trazer muitas novidades em termos de cubos com novas alternativas de prender o pinhão no mesmo.
O que vai ocorrer ao longo do tempo, é uma clara distinção entre cubos destinados às fixas urbanas e aqueles para bicicletas de pista para competição em velódromo. À medida que se popularizam as fixas urbanas, os preços dos cubos destinados a elas vão cair de preço pelo aumento da escala de produção. Hoje existe o cubo para fixa Shun Feng (chinês) que custa R$ 49,00 na loja de bicicleta, aqui no Brasil.

Um resumo das maneiras de prender um pinhão no cubo, está no quadro abaixo.


         Maneiras de Prender o Pinhão no Cubo / Fabricantes & Modelos

Tradicional
Encaixe + Lock
Encaixe + Paraf.
Parafusado
Formula
White Industries
Level (USA)
Phil Wood(USA) 

FixKin(Italia)
Dura Ace
Halo - Fix G
Record
Conversões:
Phil Wood
Deore, XT
Miche
Surly
Surly
Quando
Halo
ShunFeng
Asiaticos/Outros

 NOTA:  Ressalte-se que na lista acima está faltando o sistema de pinhão chavetado.



Alternativas Engenhosas de Criar um Cubo para Fixa



Abaixo listamos as diversas alternativas engenhosas e criativas de transformar outros tipos de cubos para uso em uma bike fixa.
Muito utilizado no Brasil é o cubo dianteiro para disco de MTB, no qual é trocado o eixo por um sólido e mais longo – 174mm para um espaçamento entre gancheiras de 130mm (padrão de speed). Nele é parafusado um pinhão (de encaixe) para bike cargueira, no qual foram feitos seis furos utilizando como gabarito um rotor de freio a disco.  Entretanto, com a disponibilidade do cubo de pista Shun Feng de baixo custo irá diminuir o uso do cubo de disco com pinhão parafusado, pois ele dá um certo trabalho: troca de eixo, furar o pinhão etc . Além disso, o pinhão furado não pode ter menos de 16 dentes, caso contrario, os parafusos vão ficar atrapalhando a corrente.
Essa solução foi criada pela Velosolo Bikes de Londres (UK) e outros (TomiCog, Boone Rings), que também produzem esses pinhões furados  (que tem garantia vitalícia - Velosolo) para serem colocados nesse cubo de freio a disco. A TomiCogs  (USA) produz eles em aço inox, e o link é: http://tomicog.blogspot.com/, e também tem a Boone Rings que produz pinhões parafusados em titânio.  Existe um excelente artigo sobre isso neste link: http://www.63xc.com/tomchow/boonecog.htm , onde um pinhão parafusado é usado nas mais duras condições e sobrevive, o oposto do ambiente de um velódromo.
Muitos torcem o nariz para esse tipo de solução, e chamam isso de "gambiarra". Entretanto se tivessem ocorrido muitos problemas com esses cubos a disco com pinhões parafusados, a Velosolo Bikes - UK  ou a TomiCogs (USA) já teriam fechado as portas por conta das indenizações milionárias que teriam de pagar por falha de produto ou por promover ou induzir o uso de um produto com pouca segurança ou que oferece risco no seu uso.

Nesta postagem do blog: Como Transformar Cubo de Disco em Cubo de Fixa mostramos detalhadamente como converter um cubo dianteiro para freio a disco em cubo traseiro para fixa no qual vai ser parafusado um pinhão, conforme fotos abaixo.

Cubo de Disco Deore com Pinhão de Cargueira Furado
Abaixo mostramos ele montado na fixa:

Cubo de Disco Deore com Pinhão Parafusado

Recentemente (Julho 2011) a Phil Wood, uma conceituada fabricante de cubos de pista, lançou o primeiro cubo especifico para pinhão com furação ISO (a mesma dos freios a disco). Alguns consideravam essa alternativa uma gambiarra, mas com o endosso da Phil Wood a resistência ao pinhão parafusado vai diminuir muito. Isso foi objeto de post no blog com este titulo: "Pinhão Parafusado é Gambiarra? Não É, Segundo a Phil Wood".

 Nos seguintes posts: “Cubo Campagnolo C-Record com Pinhão Parafusado” e “Como Converter Cubos C-Record ou Dura Ace Antigos em Cubo Fixo mostramos como converter cubo com rosca para roda-livre em cubos de fixa, e existem 3 maneiras de fazer isso: a 1ª. é o FixKin Lock ; a 2ª. é o “anel”/adaptador para pinhão parafusado, e a 3ª. é um adaptador da SPNK (empresa inglesa) que rosqueia no cubo e que nele tem duas roscas: uma para o pinhão e a outra menor e reversa para colocar o “lockring”. O uso desse adaptador está descrito neste post:"Adaptador SPNK para Conversão de Cubo de Rosca em Cubo com Pinhão e Lockring ". Vide foto abaixo.

Adaptador SPNK p/ Cubo de Rosca virar Cubo de Fixa

Uma excelente alternativa de baixo custo é um Cubo de Rosca com Pinhão Chavetado e o processo está descrito neste post: "Como Montar um Cubo Fixo com Pinhão Chavetado" . As fotos desse pinhão/cubo estão abaixo. 



Pinhão com Sulco para Inserção do Parafuso-Chaveta


Cubo de Rosca Comum com Pinhão Chavetado


É importante lembrar que a Shimano abandonou os cubos para disco em que o rotor é parafusado, e agora o sistema é “centerlock” veja a foto abaixo desse tipo de cubo. Entretanto,  isso não impede de ser utilizado com um pinhão parafusado, basta usar um adaptador que converte o  “centerlock”  no sistema tradicional de 6 furos; porém neste caso existe uma limitação o pinhão deve ter pelo menos 18 dentes para que a corrente não esbarre no adaptador.
Adaptador p/ Centerlock com Pinhão Parafusado

Outra alternativa é usar o Surly Fixxer (link:  http://surlybikes.com/parts/fixxer/  ) ele substitui o “freehub” onde vão os diversos pinhões que compõe o k-7 de uma bike de marcha. No Fixxer é possível rosquear um pinhão padrão de pista (rosca 1.37” x 24 TPI) e também uma contra-porca de pista (rosca 1.29" x. 24 TPI).  O Fixxer funciona bem com os cubos K-7 da Shimano que tenham um eixo com rosca 10 x 1 mm (traduzindo o eixo tem 10mm de diâmetro e o passo da rosca é 1 rosca por milímetro). Ressalte-se que essa modificação pode ser revertida sem nenhum dano ao corpo do cubo.
Surly Fixxer
Surly Fixxer Montado em Cubo K-7 Shimano

Na mesma linha da Surly, a Kimori, empresa japonesa dedicada a fabricação de componentes para bikes, desenvolveu um adaptador semelhante ao Fixxer da Surly, só que ele não utiliza contra-porca (Lockring). Esse adptador converte um freehub / cubo k-7 da Shimano em cubo para fixa e ele permite que se coloque 2 pinhões no adptador, emulando assim o pinhão Dingle fabricado pela Surly. O link para esse imaginativo produto está aqui. 
Kimori Fixed Gear Adapter

Kimori Fixed Gear Adapter no Cubo

Pode-se também converter um cubo para k-7 em fixo, bastando soldar um pequeno triangulo no corpo do “freehub” (veja a foto abaixo – é da Campagnolo) que irá ficar no lugar das três partes móveis mostradas na foto, com isso o “freehub” fica imobilizado. Essa solução apareceu no Fixed Gear Gallery e também o Igor Miyamura fez isso em um cubo K-7, conforme ele contou no www.pedal.com.br . A vantagem é que você pode colocar o único pinhão na posição que dê uma linha da corrente perfeita, e você vai precisar de mais espaçadores, eles existem a venda em kits para converter os K-7 da Shimano em singlespeed ou um torneiro pode fazer de tubo de alumínio. Ressalte-se que neste caso, onde triângulos são soldados no “freehub” isso não pode ser revertido, mas o corpo do cubo pode ser reutilizado com K-7 desde que você coloque um “freehub” novo.  Esse sistema deixa o cubo muito parecido com o da Halo, mencionado acima, exceto que a parte estriada é maior.
Esquema do "Freehub": Partes com Molas são Soldadas (imobilizadas)
Uma alternativa é pegar um cubo traseiro antigo daqueles em que vai rosqueada uma roda-livre de 6 ou 7 velocidades e pedir para um torneiro fazer a rosca anti-horária para colocar uma contra-porca de pista que tem a medida de 1.29" x. 24 TPI.  Ressalto que tentei fazer isso com um cubo antigo de rosca, mas não existia espaço suficiente para rosquear o pinhão e colocar essa contra-porca de cubo de pista.
A Miche, fabricante italiana de peças de bicicletas, utiliza o sistema de “carrier” nos cubos de pista; isto é, o “Carrier” é rosqueado  no cubo e um pinhão especial é encaixado no “Carrier”, eles dizem que com isso a troca de pinhão fica mais rápida. O pinhão é mantido no encaixe pela contra-porca tradicional de cubo de pista.
Pinhão Miche com o "Carrier" e o Lockring
O “Carrier” da Miche pode ser rosqueado e muito bem colado (epóxi) em um cubo de rosca comum, e o pinhão será mantido encaixado usando-se uma contra-porca do movimento central. A vantagem do sistema sobre o “suicidal hub” é que ele permite que o pinhão seja trocado facilmente. Neste tipo de “gambitech” , NUNCA, NUNCA MESMO DEVE-SE DAR UM SKID, use o freio para brecar a bike. Ressalte-se que a economia não vale o risco de ocorrer um acidente (desrosquear o pinhão), e se machucar, ferir outras pessoas e danificar seriamente a bike.
Alguns poucos usam o “suicidal hub”, que consiste em rosquear/colar com trava-rosca super forte o pinhão (rosca 1.37” x 24 TPI) em um cubo comum com rosca e colocar também uma contra-porca de movimento central (rosca 1.37” x 24 TPI). Neste caso, que também é um “gambitech” , NUNCA, NUNCA MESMO DEVE-SE DAR UM SKID, use sempre o freio para brecar a bike, caso contrario o pinhão pode desrosquear. Ressalte-se que a economia não vale o risco de ocorrer um acidente (desrosquear o pinhão), e se machucar, ferir outras pessoas e danificar seriamente a bike.
Um aspecto importante, se você quer dar SKIDS, utilize um cubo próprio para pista ou um cubo de disco de boa qualidade com pinhão parafusado, o “suicidal hub” e similares implicam em muito risco de acidente ao dar SKIDS.
A esta altura o leitor estará se perguntando: qual cubo utilizar para montar a minha fixa? Em primeiro lugar, não existe uma resposta universal que sirva para todo mundo, porque as pessoas vivem em contextos diferentes, tanto topograficamente, como bicicleta que possuem, o uso da bike fixa (competição, lazer, meio de transporte etc.), facilidade de acesso às peças necessárias, como também financeiramente e o nível de paixão por pedalar. Entretanto, acho que deve prevalecer certo senso de proporções, por exemplo: no caso de bike MTB de supermercado é mais compatível usar cubo Shun Feng de pista ou usar um cubo de disco.  No outro extremo, um atleta que tenha um quadro de carbono parado (gancheira vertical) e queira usá-lo para treinar mas fixado, neste caso é mais adequado colocar um cubo Eno Ecentrico do que tentar fazer um “magic gear” com um cubo de disco com pinhão parafusado. Ressalto que isso é apenas a minha opinião, cada um deve fazer o que sente mais confortável ou prazeroso em pedalar a bike.
É importante dizer ao leitor que já usei apenas uma pequena parte dos cubos traseiros mencionados: Formula, IRO, Eno Ecentrico, Cubo de Disco Deore e Dura Ace HB-7600. Opiniões sobre durabilidade / qualidade devem ser buscados nos fóruns tanto locais como internacionais.
Obviamente quem está lendo este artigo está pensando em efetuar uma conversão de uma bike de estrada ou montar uma do zero.  Até um ano atrás (2010), não existiam bikes fixas prontas para uso urbano a venda nas lojas de bicicleta, às vezes, você encontrava uma que outra bike de pista para competição e o preço na faixa de R$ 4 mil; então a solução era montar/fazer uma conversão. Hoje em dia, muitas lojas de bicicletas estão comercializando bicicletas fixas para uso urbano. Quem não tem paciência ou gosto pela montagem de uma fixa, é melhor comprar uma pronta.
DISCLAIMER
As “gambitechs” (gambiarras) mencionadas só têm cunho ilustrativo /educacional/informativo; não recomendamos que você utilize as mesmas. Elas têm riscos que não foram dimensionados. Caso você queira utilizá-las, você está fazendo isso por sua conta e risco e a responsabilidade é única e exclusivamente sua por eventuais acidentes.
P.S: No site www.pedal.com.br tem um tópico denominado Single Speed (filosofia) (Link é: http://www.pedal.com.br/forum/single-speed-filosofia_topic1305_page33.html ), onde tem amplas e variadas discussões sobre o tema.

Boas Pedaladas a Todos


By MarchaFixa

14 comentários:

  1. Este é o Luis "Bicipédia"... que aula... só um adendo: ainda ontem (13/04/2011) troquei e-mails com o Boone e ele me respondeu que não fabrica mais peças para bicicletas...

    Carlão/SP

    ResponderExcluir
  2. A pagina do site informa que eles estão assoberbados de encomendas. Não estão aceitando mais.

    ResponderExcluir
  3. Efetuei algumas atualizações do texto. Tinha esquecido de mencionar os cubos de disco singlespeed, que são uma ótima alternativa aos cubos de pista tradicionais flip-flop.

    ResponderExcluir
  4. Uma outra atualização foi a menção do adaptador para fixa da Kimori.

    ResponderExcluir
  5. Caro amigo
    Se eu decidir usar um cubo flip flop para montar uma fixa/single, tem um padrão para o tamanho do eixo do movimento central (padrão italiano) para conseguir um correto alinhamento da corrente? (O pedivela será um sugino)
    Obrigado desde já.

    ResponderExcluir
  6. Eduardo,

    Costuma-se usar um movimento central com eixo de 107mm ou 110mm (independentemente se a rosca é italiana ou inglesa). Eu prefiro usar 107mm , mas sao mais dificeis de encontrar. Se for o Sugino para BMX, entao 107mm ou 110 mm vai ficar bom.

    Ats,

    ResponderExcluir
  7. Oi,Marcha. Ótima sua "opus". Adquiri, recentemente, um quadro e Caloi antiga, com esticador. Creio ser da década de 70 ou 80. Como moro, atualmente, em Manaus, AM, gostaria, se puderes me ajudar, que indicasses um endereço de loja para adquirir peças para fixa pela internet. Manaus é carente no assunto. Prefiro no Brasil, pois o prazo de entrega é menor. A loja deve ter todos os componentes, pois, só tenho o quadro.
    Ps. Já li quase todos os teus artigos sobre o assunto.
    Grato, Paulo Giusti.
    Ikonking@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ikonking,

      Um bom lugar é a CicloUrbano e a Tre3e, eles tem tudo que voce precisa para montar uma fixa, assim como a DKS de Mauá- SP. Ats. MF

      Excluir
  8. Paulo, eu estou adaptando uma Caloi 10 e comprando muita coisa na Ciclourbano.com.br , tem tb como o tre3e.com.br e outros que vc pode achar procurando pelas peças específicas no Google.

    Marcha, tenho uma questão especifica sobre cubo. Estou com uma Caloi 10 com rodas 27 e 36 furos. Comprei um Shunfeng flip-flop na Ciclourbano porém só quando ele chegou que notei que é 32 furos e pelo que eu saiba não existem rodas 27 32 furos, agora estou no dilema, trocar tudo para 700c (o que nao é uma má idéia pensando no longo prazo) ou achar outro cubo.. você sabe da existencia de Shunfeng 36 furos? quanto ao outro cubo, gambiarra ou não, o bom seria uma opção acessível pois estou em Floripa sem muitas opções de peças. Enfim.. o que vc recomenda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme,

      Existe o aro Vzan Escape 27" com 32 furos - veja este link aqui: http://www.comprevzan.com.br/aro-escape-c-10.html . Eu não sei se o ShunFeng estava vindo com 36 furos. Existem aro 700c Vzan Spin com 32 furos e ai voce troca o aro e tem mais opções de pneus, mas não esqueça que voce talvez tenha de trocar as pinças de freios por umas mais longas, pois a roda 700c é menor que a 27". Ats, MF

      Excluir
  9. Você comentou sobre a rosca do cubo espanar. Já havia detonado um outro cubo flip/flop Quando chinês, mas ele havia espaçado apenas e entortado o cone. Comprei um cubo Origin 8 (Formula) e com um mês de uso acho que ele espanou, não sei ao certo, mas as vezes quando vou começar a pedalar ou parar, parece que o pedivela gira em falso e depois o pneu gira normal.

    Acha que pode ter espanado a roscado do cubo?

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João,

      Provavelmente espanou. Não deveria acontecer essa pedalada em falso. Verifica se o pinhão e a contra-porca (lockring)estão bem apertados. Se voce não usa freios, é melhor colocar um, pois o espanamento completo pode ocorrer no pior momento, e caso voce esteja sem freios, para brecar a bike sobra a alternativa de colocar o pé no pneu. Voce deve estar pensando porque NÃO recomendei voce tirar o pinhão e o lockring para examinar a rosca, pela seguinte razão: Se a rosca estiver espanada, esse processo de retira pinhão e coloca de volta pode enfraquecer ainda mais a rosca que já está danificada. Coloque e use freios na sua fixa. Se voce gosta de dar skids, é melhor utilizar um cubio de disco convertido para pinhão parafusado. Ats, MF

      Excluir
  10. MarchaFixa,
    Antes de tudo, parabéns pelo seu blog, sua iniciativa só nos faz tecer elogios a você.
    Por toda vida pedalei as “magrelas”, não sou purista, pedalo MTB, estrada, pista, passeio, fixa, beach bike, osso, até dog bike (bike com dispositivo com mola no quadro para prender a coleira do cachorro), simplesmente pedalo...
    Até tenho uma bike que montei com uma das sugestões de seu blog, com cubo de freio a disco, simples e de resultado excelente, diria ainda, até melhor do que cubos com contra porca, pois, em determinada época corria de bike e no início das temporadas instalava um roda fixa com cubo de pista com contra porca para treinar, e lhe digo, volta e meia a bike soltava o pinhão, o jeito era não forçar muito os pedais para trás para não soltar. Com o cubo de freio a disco isto não acontece, e o melhor, você pode escolher o cubo traseiro com a alternativa de usar a roda livre do outro lado ou o cubo dianteiro com a roda sem o guarda chuva, fica mais bonita.
    Parabéns!
    Boas pedaladas e bons posts!

    ResponderExcluir
  11. Oi Giuseppe,

    Obrigado pelas palavras sobre o blog e também pelo testemunho sobre os cubos de pista com duas roscas, que mais uma vez confima que eles não aguentam o tranco. Abs, MF

    ResponderExcluir