Bianchi Ocelot MTB Fixa (pinhão Surly Dingle 21x17 e a altura do mov.central é 29cm)

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

A Frota de Bikes Fixas do Sheldon Brown

Introdução
Resolvi traduzir este artigo do Sheldon Brown para mostrar a uns fixantas do Fixed Gear Brasil (grupo do Facebook) que apesar dos Estados Unidos serem o lugar aonde existem o maior numero de opções de quadros específicos para fixas, ELES AINDA FAZEM MUITAS CONVERSÕES DE BIKES SPEED EM FIXAS.
A comprovação é bem simples, basta ver o site Fixed Gear Gallery aonde tem pilhas de bikes de speed convertidas em fixas.
O caso do finado Sheldon Brown é emblemático. Dono de uma bicicletaria muito conhecida nos Estados Unidos, e que é uma unanimidade entre os fixeiros, tinha acesso a qualquer opção de quadro de fixa, seja produção seriada ou um especial feito por um framebuilder top de linha.  Entretanto preferiu dar o exemplo à comunidade de fixeiros utilizando quadros das mais diversas procedências e convertendo-os em fixa.
Outro aspecto importantíssimo das fixas convertidas do Sheldon Brown: Usam uma miscelânea de componentes, marcas e modelos diferentes. Ou seja, ele fez muita reciclagem. E isso também  acontece muito nas fixas convertidas da Fixed Gear Gallery.
Obviamente ninguém é obrigado seguir o seu exemplo, mas por outro lado os Fixantas do Facebook dizem que em 2016: Isso de fazer conversões para fixa está fora de moda, não precisa. Afinal têm-se no Brasil inúmeras opções de quadros de fixas. Ou seja, eliminaram a opção de se fazer conversões!!! Isso induz ao erro os que querem se iniciar no mundo das fixas gastando pouco, reaproveitando uma bike encostada.
Entretanto nem tudo está perdido, conforme se pode ver nesta postagem no Facebook por um membro do grupo Fixed Gear Brasil:
“Ao meu ver, outro (bom) motivo pra fixar um quadro road com gancheira semi-horizontal em 2016 é quando você não tem grana (meu caso) e quer um quadro no mínimo bem feito com bons materiais. Esse ano eu trabalhava numa lanchonete vegana, ganhava 1000 reais por mês, tinha que pagar aluguel e alimentação. Eu juntei uma grana por 3 meses e vendi minha Airwalk Pista IV antiga. Com a grana que eu consegui juntar (mais ou menos R$860) eu só tinha duas opções: Ou comprava um quadro de aço hi-ten igual ao que eu tinha na Airwalk, ou comprava um quadro de road com uma boa tuberia e fixava. Fui na segunda opção, e acabei achando o meu Raleigh com tubos Reynolds 753r por R$650. Não podia ter escolhido melhor. Quando se trata de quadros específicos pra fixa existe um gap de opções entre quadros de aço hi-ten (Até R$1000) e quadros feitos com materiais de qualidade (O único que eu conheço é o Colossi que está R$1.750,00). Pra quem quer um quadro de qualidade, mas não tem grana pra comprar algo caro como Colossi, ainda faz sentido fixar quadro de road com gancheira semi-horizontal em 2016”.
Ressalte-se que esses tubos Reynolds 753 eram os top de linha da época do seu lançamento. A Reynolds não vendia esses tubos para qualquer framebuilder, somente aos que tinham sido aprovados no teste de qualificação. Esses tubos eram muito sensíveis à altas temperaturas, eram soldados com prata. Eu já tive um quadro Look Bernard Hinault que tinha tubos Reynolds 753.

No blog existem vários posts sobre bike fixas convertidas, porém três deles abordam especificamente a Caloi 10, a saber: "Manifesto Caloi 10 Convertida em Fixa" ; "Caloi 10 Convertida vs. Bike de Pista: Um Testemunho" e "A Minha Caloi 12 Convertida em Fixa".

Ressalte-se que as fixas do Sheldon Brown são coerentes com o que ele recomendava para seus leitores, como pode ser lido no texto abaixo. 




Sheldon Brown sobre Track Bikes vs. Fixa Convertida

“Bicicletas de pista são projetadas para uso em velódromos. Alguns ciclistas rodam com elas nas ruas, mas elas são menos do que o ideal para utilização nas ruas.
A geometria do quadro de uma bicicleta de pista também é diferente da de uma bike speed. Desde que velódromos não têm lombadas ou buracos, eles são construídos mais rígidos, com os ângulos do quadro mais-verticais. Isso é bom para a capacidade de manobrar, mas faz com que eles sejam muito duros (desconfortáveis) para rodar nas ruas do mundo real.
Apesar do fator moda (coolness) de uma verdadeira bike de pista, uma bike de estrada convertida em fixa é o que eu recomendaria para o ciclista em busca dos benefícios de pedalar uma bike com pinhão fixo.
Isso normalmente seria uma bike de estrada/speed mais velha, modificada para virar uma bike com pinhão fixo. A maioria das bikes antigas com "dez velocidades" são boas candidatas para este tipo de modificação / conversão.
Estas bikes têm a geometria apropriada para pedalar confortavelmente na rua, vêm com freios, rodas com blocagem, espaço para para-lamas, e, às vezes até suportes (braze-ons) para garrafa de água.
Você poderia comprar uma bike fixa pronta, mas eu tenho um artigo detalhado sobre Conversões de Bike de Speed em Fixas que ajudarão você a montar a sua própria fixa”.
Nota: O blog tem vários posts sobre conversões aonde isso é detalhado em português.



Para se ter uma idéia da versatilidade das bikes fixa (e de que sou um caso de loucura sobre o assunto) eu devo mencionar que eu tenho, eu me envergonho de admitir, 11 (ONZE) bikes fixa na última contagem. Deixem-me dizer-lhes algo sobre elas:

Raleigh
Em primeiro lugar, há uma bike do início dos anos 70 - Raleigh Internacional - com lindo cachimbos retro Nervex (cromados), toda com tubos Reynolds  531, selim Brooks Swallow, cubos Campagnolo Record flange alta. Itens não-retro incluem: guidão Scott AT-4 Pro, pedivela Shimano 105 (coroa Biopace - suspiro !!!, sim, eu sou a única pessoa no mundo que gosta de Biopace);  aros aero Sun. A roda traseira tem 28 raios, e a da frente 24 (o cubo dianteiro é de 36 furos, eu simplesmente não usei todos eles!), e coloquei um freio Weinmann centerpull com um “quick release” que atua como um freio de estacionamento.

Raleigh International Fixa


Cannondale ST 500 Touring
Há também uma Cannondale ST quadro 500 Touring, equipada com guidão Scott AT3, para-lamas ESGE, bagageiro traseiro, toda preta, bem estilosa (cool). O freio dianteiro é preto da marca Dia Compe operado por um manete de freio de BMX/Freestyle que possui um botão para bloqueio que uso como um freio de estacionamento.
Esta máquina Darth Vader é a minha bike para dias de chuva.

Raleigh Twenty (dobrável)
Há muito tempo eu tenho uma fraqueza pelas bicicletas Raleigh Twenty dobráveis. Minha bike fixa Twenty tem um garfo Haro BMX, aros de liga leve Araya, cubos Normandy de flange alta (eixo solido), pneus Continental Grand Prix 25 mm, guidão de mtb com bar-end integrado, selim Brooks Swallow, freio Dia Compe  de BMX. O manete de freio possui um botão de bloqueio que eu uso como um freio de estacionamento.

Bike Fixa Raleigh Dobravel

Moulton Stowaway
Depois, há a minha Moulton Stowaway de 1962. Esta primeira geração da Moulton tem suspensão completa, rodas de 349 mm (16 polegadas) e desmonta no meio para armazenamento ou transporte em outro veículo. Ela originalmente vinha com todas as peças de aço e um freio de contra-pedal. Eu já substituí a maioria das peças por umas de alumínio mais atuais, tornando-a muito mais leve do que quando foi lançada.

Bike Fixa Moulton

Mead Ranger
Uma das minhas mais recentes fixas é também a mais velha, uma Mead Ranger de 1916. Lá trás, durante o governo Wilson (1914-1918), esta bicicleta top de linha de $ 40 tinha aros de madeira, pneus tubulares de 28 polegadas, e um freio de contra-pedal. Quando eu a comprei por US $ 25 em 1998, ela não tinha rodas nem selim. Eu instalei um par de rodas 27” “vintage” de alta qualidade do final dos anos 70), a roda traseira equipada com um cubo de pista Phil Wood. Usando o velho estilo corrente de 1" “pitch”, esta bike tem uma coroa de 26 dentes, e o cubo traseiro flip-flop tem um pinhão de 8 e um pinhão de 10 dentes (Obs.: Eles são de um padrão muito antigo 1” pitch, e atualmente só se usa ½” pitch). Esta fixa é verdadeiramente rápida para rodar, e a estrutura antiga tem um muito toque moderno. Eu tenho uma página separada sobre esta fixa, AQUI.

Bike Fixa Mead Ranger


As fixas acima têm apenas freio dianteiro, operado por manete do lado direito.

Raleigh Lenton Grand Prix
Depois, há a Raleigh Lenton Grand Prix de 1957, os tubos principais são Reynolds 531, o pedivela é um Raleigh chavetado. Esta bike tem rodas que montei com aros de liga leve 630 mm (27”). A característica mais incomum desta fixa é o cubo traseiro, um Sturmey-Archer ASC de 1952, com três velocidades fixas. Dá um acionamento direto, 90% e  75%. Eu tenho ele ajustado para as relações de ganho de: 6,31 (83 "/ 6.62 m), 5,68 (75" / 5.95 m) e 4,73 (63 "/ 4.96 m). (Minha relação fixa habitual é de 5,77 (75,6 "/ 6.05 m gear). Atualmente, a Lenton está passando por tempos difíceis, porque ela abriu mão de suas rodas e do selim para ajudar a equipar a fixa E. G. Bates.

Hercules
Quase tão estranha quanta minha fixa “woodie” MTB; é esta Hercules de 1930 com um cubo reversível. Um dos lados tem pinhão fixo de 18 dentes, o outro tem uma roda-livre de duas velocidades, 20 e 30 dentes. Esta fixa tem um pedivela Shimano 105, com coroas 42/52. O 52/18 me dá uma relação com um ganho de 5,56 (75 "/ 6.00 m), que eu uso na maioria das vezes. No lado da roda livre, eu tenho as opções entre a 52/20 - 5.01 (68" / 5,44) relação para estrada (road) e a 42/30 - 2.70 (36 "/ 2.91 m) relação para trilhas (mtb). Esta fixa tem rodas 559 mm de mountain-bike (aro 26”), geralmente com pneu de 1,5” semi-slick, embora às vezes eu coloco uma roda dianteira com um pneu com cravos (knobby) se eu pretendo ir  para as trilhas. Eu tenho uma página separada sobre esta fixa, AQUI.

Bike Fixa Hercules


A maioria das fixas acima têm pedivelas com 165 mm para ter mais margem (clearance) ao fazer curvas.

Rudge
Depois, há a minha fixa “pau para toda obra” (beater), uma Rudge do início dos anos 50', com tubos principais feitos de Reynolds 531. Originalmente equipada com um cubo de quatro velocidades Sturmey-Archer, esta bicicleta toda em aço tem ainda os componentes originais, exceto que eu substituí o cubo traseiro por um vintage de aço com 40 furos.
Esta fixa é uma lata-velha (rustbucket) que fica ao ar livre atrás da minha casa, eu nunca coloco cadeado. Possui um engradado de leite no bagageiro Pletscher, e ela é usada para ir à curtas distancias. Esta fixa é deliberadamente desconfortável e difícil de pedalar, para deter ladrões. É um quadro tamanho 21”, um par de polegadas demasiado pequeno para mim, com um enorme canote e um selim barato de uma bike de dez marchas com a base de plástico aparecendo, e o revestimento e a espuma arrancados.
O guidão North Road é baixo e foi virado de cabeça para baixo, de modo que ele é pelo menos um pé (30 cm) mais baixo do que o selim. Pedais estilo “rat trap” de aço com “pontas” afiadas, sem firma-pé e nem correias complementam o instrumento de tortura. Qualquer imprudente (rash) o suficiente para tentar montar esta fixa teria que ter pernas muito longas como eu, e mesmo assim, um ciclista que não esteja acostumado a andar de bike fixa, certamente, poderá bater dolorosamente, se ele ou ela tentar pedalar a minha Rudge. Ela tem uma relação de ganho de 5,01 (68 "/ 5,44), e é confortável o suficiente para mim para passeios de uma ou duas milhas (no maximo 3 Kms).

Picchio Tandem
Minha esposa também é fã de bikes fixas (ela tinha uma bike speed  Bottecchia do início dos anos 70 que foi convertida em fixa) então era óbvio que precisávamos de um tandem fixa. Troquei-a na Bicycle Classics por uma tandem Picchio do inicio dos anos 70’. Ela veio originalmente com componentes Campagnolo Nuovo Record. Alegadamente, o proprietário anterior achou muito assustador rodar com esses freios lamentáveis.
Jogando a tradição no vento, eu remontei ela com pedivelas Shimano 105 com 165mm (anos atrás eu fiz um bom negocio adquirindo vários conjuntos desses com coroas Biopace!) e com freios Shimano 105 SLR de pivô único (o melhor “side pull” já fabricados) com sapatas de freio Mathauser. Ela freia muito bem, e é muito divertido de andar! Tem uma relação com 52/18 - 5,95 (78 "/ 6.24 m).
Provavelmente ela foi originalmente equipada com pneus tubulares, mas coloquei rodas com 630 mm (aro 27"). Isto levanta levemente o movimento central (uma coisa boa em uma bike fixa!) e também melhora a frenagem (uma coisa boa para uma tandem!).

Picchio Tandem Fixa


Bridgestone CB-3
Minha Bridgestone CB-3 é uma bicicleta especial para pedalar na neve. Inicialmente essa Bridgestone CB-3 era uma “city bike” básica de meados dos anos 80’. Tirei todos os componentes relacionados com marchas, e o freio traseiro. Eu coloquei um pinhão com 15 dentes no cubo de aço, que se alinha muito bem com a coroa de 28 dentes do pedivela triplo. Isso me dá uma relação de 3,63 (49 "/ 3,88 m), que é alta o suficiente para ir tão rápido quanto eu gostaria em uma estrada coberta de neve.
Tem pneus de MTB à moda antiga com grandes cravos quadrados que parecem funcionar muito bem no pavimento coberto de neve.

Bridgestone CB-3



Bianchi Osprey
Minha "woodie" Hercules é tão divertida, que eu decidi tentar fazer uma bike similar, usando um quadro verdadeiro de MTB. Eu consegui um bom negócio em um quadro usado Bianchi Osprey. Este quadro tem gancheiras verticais, mas eu o configurei com um cubo flip-flop: pinhão fixo de um lado, e roda livre de duas velocidades, no outro lado. As gancheiras verticais não permitem o ajuste da tensão da corrente, porque o eixo fica bem encaixado e imobilizado na gancheira. Eu resolvi isso cortando o eixo bem curto, para que ele não se estenda além das contraporcas do cone. Apenas o eixo da blocagem atravessa as gancheiras. Uma vez que o eixo da blocagem é mais fino do que o eixo vazado do cubo, então isso permite algum ajuste de frente para trás. Até agora, não há problemas com essa montagem não ortodoxa, mas eu levo uma blocagem de reposição, apenas no caso da original quebrar. É uma maravilha de pedalar.

Bianchi Osprey - Fixa


E. G. Bates
Minha fixa E. G. Bates é, possivelmente, a minha mais legal, e certamente mais valiosa bicicleta. Um quadro artesanal feito magistralmente com cachimbos muito ornamentados, e ele também possui um cubo de fixa extremamente raro Sturmey-Archer ASC, de três velocidades fixas. Consulte a página separada para esta bike fixa, AQUI.

Bike Fixa E. G. Bates



Nota – Resumo da pagina de E. G. Bates:
Minha fixa E. G. Bates, no entanto, tem tubos “butted” Reynolds 531 (exceto para as lâminas do garfo).
À primeira vista, parecia ser um quadro pista: As gancheiras do quadro são horizontais de pista, como acontece com uma “track bike”, e o garfo tem tubos redondos, e não lâminas ovais, que também é uma característica de bicicletas de pista ..., mas também tem ilhoses (braze-nos) para para-lamas e foi furado para o freio.
Após remoer várias opções, eu decidi aposentar minha bike Raleigh Lenton Grand Prix, e transferir os melhores componentes, incluindo o cubo Sturmey-Archer ASC com 3 velocidades fixas, para o Bates. Eu estou usando uma alavanca de cambio para bar-end da Suntour para trocar as marchas, já que eu não tenho a alavanca especial da Sturmey-Archer ASC, e de qualquer maneira eu não gosto muito de alavancas na barra do guidão.  
Puristas sem dúvida ficarão horrorizados com o freio Dia Compe com um manete de freio Shimano, mas quando eu só tenho um freio, eu quero que ele seja dos bons. Tenho certeza de que seria mais autêntico se eu colocasse uns pedais da Lyotard #23 nessa bike, mas eu caí completamente sob o feitiço do SPD da Shimano.


Link para pagina das fixas do Sheldon Brown: http://sheldonbrown.com/fixed-scb.html
*            *            *

Boas Pedaladas com Fixas Convertidas

MarchaFixa

Nenhum comentário:

Postar um comentário